Avatar do usuário
Por DreyKant
Quantidade de postagens
#125232
A ordem constitucional vigente, inaugurada em 1988, guia-se pelo propósito de construção de uma sociedade livre, justa e solidária, de modo a assegurar a igualdade e justiça como valores supremos. No entanto, mesmo diante desses preceitos na Constituição Federal, bem como do direito à inclusão social, vê-se que a invisibilidade no trabalho de cuidado realizado pelas mulheres persistem no Brasil. Assim, a fim de combater esse obstáculo, há de analisar-se a negligência governamental e a ausência de debates sociais.
Diante desse cenário, cabe ressaltar que um fator do óbice é a omissão estatal. Dentro desse aspecto, Zygmunt Baumam, renomado sociólogo, aponta em sua tese "Instituições Zumbis", que o descaso do Estado diante de um problema social fomenta a ascensão de adversidades. Nesse ínterim, salienta-se a veracidade dessa teoria ao relacioná-la à questão de negligência às mulheres que desenvolvem o ofício de cuidado no país, haja vista que o Poder Público, responsável pela gestão da coletividade, é inerte a políticas públicas que visam a mitigação desse infortúnio. A exemplo de uma remuneração igualitária à do trabalho masculino. Dessa forma, a continuidade da inércia governamental dificulta a resolução do problema.
Ademais, é imperioso citar, em segundo plano, que a falta de debates sociais é também uma causa da adversidade. Sob essa concepção, Stephen Hawking, renomado físico, apontou que as grandes conquistas da humanidade foram obtidas pelo diálogo. Nessa ótica, evidencia-se a importância que um movimento coletivo exerce, principalmente, no que se refere à condição feminina nas atividades de cuidadora, a qual devido a carência de conversas na sociedade, essas pessoas enfrentam diversos obstáculos, como o não reconhecimento do ofício e baixo assalariamento. Isso realça a necessidade de uma intervenção populacional perante essa problemática. Fica claro, então, que a visibilidade feminina não está acessível nessa área devido a falta de diálogos sociais.
É urgente, portanto, que o transtorno referente ao reconhecimento de atividade seja minimizado. Posto isso, as escolas, responsáveis pela transformação intelectual, devem combater a inação estatal associada a invisibilidade da mulher no trabalho de cuidadora, por meio de projetos pedagógicos, como palestras e ações comunitárias. Essa iniciativa terá a finalidade de solucionar a ausência de debates e de garantir os direitos trabalhistas e sociais propostos pela Carta Magna de 1988.
NOTA GERAL (USUÁRIOS)
Sem
nota
Pontuar redação
NOTA AUTOMÁTICA (IA)
Sem
nota
Seja apoiador!
Comentários
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 1: Demonstrar domínio da norma da língua escrita.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.
Texto não corrigido

Fala, galera! Encontrei o https://www.brazino-777.[…]

A ciência e a tecnologia têm desempenhado um papel[…]

Legalização da Maconha

Legalização da maconha, Ordem ou Aceitação ? O […]

A série de televisão, da emissora Netflix, “Ginny […]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Seu Cookie

O Corrija.com utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.