Avatar do usuário
Por vanteart05
Quantidade de postagens
#124517
Na série televisiva brasileira “Sob Pressão”, é retratada em um de seus episódios a situação de um paciente obeso que procura tratamento porque se considera um incômodo para todos ao seu redor. Fora da ficção, esta é uma problemática muito presente na sociedade brasileira atual, uma vez que o sobrepeso e a obesidade ainda são tratados como assuntos banais e trazem vários impactos no Brasil. Com efeito, são causas deste problema a influência da sociedade nos hábitos alimentares e o sedentarismo.
Sob essa perspectiva, pode-se apontar o poder da sociedade em influenciar indivíduos a mudar seus hábitos alimentares para melhor ou para pior, seja por meio da mídia ou por indicações do meio. Segundo o filósofo Jean Jacques Rousseau, “homem é bom de natureza, mas é submetido à influência corruptora da sociedade”, isto é, esta influência, no caso do malefício, leva pessoas a comprarem e consumirem comidas não saudáveis por acharem a propaganda chamativa e acarreta numa série de problemas, visto que o consumo exagerado destas comidas pode resultar num sobrepeso ou evoluir para obesidade, e, portanto, a perda da qualidade de vida. Dessa forma, é inaceitável que a sociedade capitalista atual disponha de tamanho controle sobre os hábitos dos indivíduos, tornando-se um problema a ser solucionado.
Ademais, tem-se o sedentarismo como outra causa do sobrepeso e, principalmente, da obesidade, esse estando relacionado diretamente à falta de infraestrutura, uma vez que o Estado faz um esforço ínfimo para melhorar a estrutura de áreas destinadas a pessoas com estas doenças e incentivá-las a procurar ajuda. O filósofo John Rawls afirma que ‘”um governo íntegro busca disponibilizar recursos financeiros a todos os setores públicos, visando promover uma igualdade de oportunidades a todos. ”, ou seja, a falta destes investimentos impede pessoas que querem se tratar de praticarem livremente exercícios e caminhadas, o que é fundamental para a melhoria de vida destes indivíduos.
Portanto, é imprescindível a tomada de medidas para a redução dos impactos que estas doenças trazem. O Governo Federal, juntamente com o Ministério da Saúde – órgão responsável pela administração da saúde pública no Brasil – deve questionar o crescimento considerável das propagandas e anúncios de alimentos prejudiciais à saúde humana e incentivar a população a consumir alimentos mais saudáveis por meio de campanhas e projetos em escolas e unidades de saúde a fim de conscientizar a sociedade. Além disso, cabe à Secretaria Nacional de Mobilidade e Serviços Urbanos revisar e distribuir as verbas para a melhoria da infraestrutura de cidades, criando mais academias ao ar livre e locais para caminhada. Assim, nenhuma pessoa se sentirá um incômodo à mais ninguém em razão de sua condição.
NOTA GERAL (USUÁRIOS)
Sem
nota
Pontuar redação
NOTA AUTOMÁTICA (IA)
Sem
nota
Seja apoiador!
Comentários
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 1: Demonstrar domínio da norma da língua escrita.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.
Texto não corrigido

No contexto atual do Brasil, muito se fala sobre c[…]

Desde a época da colonização e exploração das terr[…]

Intolerância religiosa

O artigo de número 5 da constituição garante a lib[…]

Dengue

A dengue vem aumentando casos gradualmente após ch[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Seu Cookie

O Corrija.com utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.