Avatar do usuário
Por Amandapea
Quantidade de postagens
#124688
Em sua obra "Ensaio sobre a cegueira", o escritor português José Saramago retrata uma cidade fictícia na qual, paulatinamente, as pessoas vão ficando cegas. Na trama, o autor utiliza dessa alegoria para criticar a falta de altruísmo e cooperação no mundo contemporâneo, em que os indivíduos se preocupam cada vez menos com o bem-estar social. Ao transpor a ficção e analisar a atual conjuntura brasileira, percebe-se que a obra exemplifica a realidade vivenciada no país, uma vez que o desaparecimento de pessoas em questão no Brasil representa um problema que não recebe a devida atenção no território nacional. Nesse contexto, deve-se analisar como a negligência governamental e a falta de informação sobre atitudes desumanas impulsionam tal problemática, com o intuito de solucuoná-la.
Diante desse cenário, nota-se a inoperância governamental como fator agravante no desaparecimento de pessoas no Brasil. De acordo com o geógrafo Milton Santos, em seu texto "As Cidadanias Mutiladas", a cidadania atinge a plenitude de sua eficácia quando os direitos do corpo social, em sua totalidade, são homogeneamente desfrutados. Todavia, no contexto hodierno, a passividade do Estado distancia a população desaparecida dos direitos constitucionalmente garantidos, à medida que o governo os deixa no esquecimento, e falha em tomar medidas eficazes para a redução de desaparecidos no país.
Ressalta -se, ademais, que a falta de informação sobre atitudes desumanas potencializa esse cenário, haja visto que, a mídia "abafa" as principais causas do desaparericimento de pessoas, como: pedofilia, abusos sexuais, tráfico de pessoas e de órgãos. Nesse prisma, tais ofensas a raça humana potencializam o número de desaparecidos no território brasileiro.
Portanto, medidas são necessárias para combater o impasse. O Estado - em sua função de promotor do bem estar social - deverá promover uma campanha nacional, por meio da TV aberta, onde todos os dias, por 5 minutos, aparerão fotos de pessoas desaparecidas. Outrossim, deverá também distribuir cartilhas educacionais para a população. Tais ações teram como finalidade encontrar esses indivíduos desaparecidos e informar a coletividade sobre as principais casas dos desaparecimentos. Assim, à luz da perspectiva de Saramago, poderemos mitigar a cegueira moral que permeia essa questão.










Em sua obra "Ensaio sobre a cegueira", o escritor português José Saramago retrata uma cidade fictícia na qual, paulatinamente, as pessoas vão ficando cegas. Na trama, o autor utiliza dessa alegoria para criticar a falta de altruísmo e cooperação no mundo contemporâneo, em que os indivíduos se preocupam cada vez menos com o bem-estar social. Ao transpor a ficção e analisar a atual conjuntura brasileira, percebe-se que a obra exemplifica a realidade vivenciada no país, uma vez que o desaparecimento de pessoas em questão no Brasil representa um problema que não recebe a devida atenção no território nacional. Nesse contexto, deve-se analisar como a negligência governamental e a falta de informação sobre atitudes desumanas impulsionam tal problemática, com o intuito de solucuoná-la.
Diante desse cenário, nota-se a inoperância governamental como fator agravante no desaparecimento de pessoas no Brasil. De acordo com o geógrafo Milton Santos, em seu texto "As Cidadanias Mutiladas", a cidadania atinge a plenitude de sua eficácia quando os direitos do corpo social, em sua totalidade, são homogeneamente desfrutados. Todavia, no contexto hodierno, a passividade do Estado distancia a população desaparecida dos direitos constitucionalmente garantidos, à medida que o governo os deixa no esquecimento, e falha em tomar medidas eficazes para a redução de desaparecidos no país.
Ressalta -se, ademais, que a falta de informação sobre atitudes desumanas potencializa esse cenário, haja visto que, a mídia "abafa" as principais causas do desaparericimento de pessoas, como: pedofilia, abusos sexuais, tráfico de pessoas e de órgãos. Nesse prisma, tais ofensas a raça humana potencializam o número de desaparecidos no território brasileiro.
Portanto, medidas são necessárias para combater o impasse. O Estado - em sua função de promotor do bem estar social - deverá promover uma campanha nacional, por meio da TV aberta, onde todos os dias, por 5 minutos, aparerão fotos de pessoas desaparecidas. Outrossim, deverá também distribuir cartilhas educacionais para a população. Tais ações teram como finalidade encontrar esses indivíduos desaparecidos e informar a coletividade sobre as principais casas dos desaparecimentos. Assim, à luz da perspectiva de Saramago, poderemos mitigar a cegueira moral que permeia essa questão.





























Em sua obra "Ensaio sobre a cegueira", o escritor português José Saramago retrata uma cidade fictícia na qual, paulatinamente, as pessoas vão ficando cegas. Na trama, o autor utiliza dessa alegoria para criticar a falta de altruísmo e cooperação no mundo contemporâneo, em que os indivíduos se preocupam cada vez menos com o bem-estar social. Ao transpor a ficção e analisar a atual conjuntura brasileira, percebe-se que a obra exemplifica a realidade vivenciada no país, uma vez que o desaparecimento de pessoas em questão no Brasil representa um problema que não recebe a devida atenção no território nacional. Nesse contexto, deve-se analisar como a negligência governamental e a falta de informação sobre atitudes desumanas impulsionam tal problemática, com o intuito de solucuoná-la.
Diante desse cenário, nota-se a inoperância governamental como fator agravante no desaparecimento de pessoas no Brasil. De acordo com o geógrafo Milton Santos, em seu texto "As Cidadanias Mutiladas", a cidadania atinge a plenitude de sua eficácia quando os direitos do corpo social, em sua totalidade, são homogeneamente desfrutados. Todavia, no contexto hodierno, a passividade do Estado distancia a população desaparecida dos direitos constitucionalmente garantidos, à medida que o governo os deixa no esquecimento, e falha em tomar medidas eficazes para a redução de desaparecidos no país.
Ressalta -se, ademais, que a falta de informação sobre atitudes desumanas potencializa esse cenário, haja visto que, a mídia "abafa" as principais causas do desaparericimento de pessoas, como: pedofilia, abusos sexuais, tráfico de pessoas e de órgãos. Nesse prisma, tais ofensas a raça humana potencializam o número de desaparecidos no território brasileiro.
Portanto, medidas são necessárias para combater o impasse. O Estado - em sua função de promotor do bem estar social - deverá promover uma campanha nacional, por meio da TV aberta, onde todos os dias, por 5 minutos, aparerão fotos de pessoas desaparecidas. Outrossim, deverá também distribuir cartilhas educacionais para a população. Tais ações teram como finalidade encontrar esses indivíduos desaparecidos e informar a coletividade sobre as principais casas dos desaparecimentos. Assim, à luz da perspectiva de Saramago, poderemos mitigar a cegueira moral que permeia essa questão.
NOTA GERAL (USUÁRIOS)
Sem
nota
Pontuar redação
NOTA AUTOMÁTICA (IA)
Sem
nota
Seja apoiador!
Comentários
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 1: Demonstrar domínio da norma da língua escrita.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
Texto não corrigido
COMPETÊNCIA 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.
Texto não corrigido

No contexto atual do Brasil, muito se fala sobre c[…]

Desde a época da colonização e exploração das terr[…]

Intolerância religiosa

O artigo de número 5 da constituição garante a lib[…]

Dengue

A dengue vem aumentando casos gradualmente após ch[…]

Corrija seu texto agora mesmo, é de GRAÇA!

Seu Cookie

O Corrija.com utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.